Pensando estar a acima da lei, prefeito de Hidrolândia pode ser cassado.

Após diversos requerimentos de vereadores de Hidrolândia Goiás, não serem atendidos pelo então prefeito Paulo Sergio Rezende conhecido como Paulinho, o parlamentar Fabrício Cruvinel  protocolou na ultima sexta-feira dia 8 já no final da tarde, denuncia por desatendimento à aquela casa conotando-se infração político administrativa, onde o artigo 4° Inc.3° do decreto de lei 201/67 prevê penalidade de cassação de mandato.

Parecendo se julgar quase acima da lei ultrapassando os prazos de 15 dias para responder os requerimentos dos vereadores, o tal prefeito esqueceu-se que a lei só serve para quem está fora dela.

Podendo-se caracterizar um fora da lei sob denuncia feita pelo parlamentar que teve sua propositura aprovada por unanimidade em sessão ordinária de 11 de Junho de 2018, agora terá que caminhar ligeiro para não perder seu mandato.

Paulinho que preside a Associação Goiana dos Municípios – AGM, deixa de lado seu município que apresenta várias deficiências onde não consegue gerir todos os problemas para usar a instituição para fazer política, divulgando através de diversos meios de comunicação impressa e digital, candidatos de sua base eleitoral, levando para cima e para baixo assessores com dinheiro público facilmente visualizados através de fotos em diversos eventos, helicóptero que o busca e o deixa em sua cidade, simpósios, palestras, jantares, cafés da manhã, lanche da tarde etc.

E por falar em base eleitoral, o Prefeito que era Caiadista roxo, por algum motivo sabe-se lá qual foi, traiu o Senador Caiado esbandeando-se para a base do governo, deixando para trás, todo um investimento moral, publicitário, político e afetivo que o Senador lhe conferia.

Na mesma tocada, vários encabidados na prefeitura de Hidrolândia que migraram para AGM que tem uma receita próxima a de um município pequeno, também abandonaram o partido de Caiado se agasalhando em tetas mais gordas, pois a fome da ganância parece doer mais que a de pão e circo.

Agora resta saber se o prefeito outrora tão ovacionado pelos Hidrolândenses conseguirá sair do buraco que ele mesmo cavou com a possível ajuda de seu mentor quase um mestre guru, Didi Matias.

Percebe-se nitidamente as feições de seus funcionários e colaboradores mais próximos, o desanima e a preocupação, pois exonerações em massa poderão ocorrer caso o atual prefeito seja cassado, e isso não era esperado, pois algumas dividazinhas foram feitas contando com os meses pela frente, pois o que mais se vê em Hidrolândia são comissionados sem competência ou notório saber  exercendo cargos técnicos.

Claydson Silva – Editor Chefe.

VEJA A FALA DO VEREADOR:

 

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *