EUA analisarão se redes sociais prejudicam livre troca de ideias

O procurador-geral dos Estados Unidos, Je Sessions, vai se reunir com promotores estaduais do país neste mês para avaliar se as empresas de tecnologia estão intencionalmente atrapalhando a troca livre de ideias nas redes sociais. Na última semana, o Departamento de Justiça dos EUA fez o anúncio após a Casa Branca ter informado que analisará a regulação do Google e de uma audiência no Senado com executivos de Facebook e Twitter sobre os esforços.

das empresas para conter a propagação de informações falsas nas duas redes sociais, que ocorreu hoje. “Ouvimos com atenção a audiência no Comitê de Inteligência [do Senado] sobre as operações estrangeiras no uso das redes sociais. O procurador-geral convocou uma reunião para analisar a crescente preocupação que essas companhias estejam prejudicando a concorrência e atrapalhando intencionalmente a livre troca de ideias em suas plataformas”, disse o portavoz do Departamento de Justiça. A diretora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, armou aos senadores que a empresa fundada por Mark Zuckerberg está em “guerra” contra as contas falsas. O diretor-geral do Twitter, Jack Dorsey, disse que a empresa identica 10 milhões de usuários falsos na plataforma por semana.

Sandberg também admitiu que a resposta do Facebook à campanha de desinformação promovida pelo governo da Rússia foi insuciente. “Fomos lentos demais para detectar e lentos demais para atuar. Isso é nossa culpa. Essa interferência foi completamente inaceitável, violou os valores da nossa empresa e do país que amamos”, disse a executiva do Facebook na audiência. No entanto, esses esforços para bloquear as contas falsas foram consideradas pelo próprio presidente dos EUA, Donald Trump, como algo “muito sério”. Na opinião do presidente e alguns republicanos, as empresas estão tentando silenciar as opiniões de conservadores. “Temos, literalmente, milhares e milhares de queixas. Acredito que Google, Twitter e Facebook estão realmente entrando em um terreno muito perigoso e devem ter cuidado. Não é justo com boa parte da população”, armou Trump.

“Google e outros estão suprimindo as vozes dos conservadores e escondendo informações positivas”, continuou o presidente, insinuando que as medidas podem ser “ilegais”

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *