Compra Fora: prós e contras de usar o novo site de importação dos Correios

Os Correios lançaram hoje, em parceria com a operadora de cartão de crédito Visa (mas válido também para outras bandeiras), a própria plataforma de importação. Chamado de “Compra Fora”, o serviço permite realizar uma compra online nos Estados Unidos e receber a encomenda no Brasil. Mas até que ponto vale a pena usar a nova plataforma de importação dos Correios?

Sobre a plataforma

De acordo com as informações enviadas pela assessoria de imprensa da estatal, o objetivo do Compra Fora é oferecer aos brasileiros a chance de comprar produtos que não são comercializados no país: “A solução permite o envio de produtos adquiridos online em lojas americanas que não vendem ou não enviam seus produtos ao Brasil”.Veja também:Em parceria com a Visa, os Correios lançam novo serviço de importação no BrasilVice-presidente Mourão rejeita privatização dos Correios ‘por enquanto’Correios limitam entregas de smartphones e notebooks pelo Sedex

Durante o evento de lançamento da plataforma, foi explicado que o Compra Fora conta com um parceiro nos EUA, que gera um endereço para a entrega das encomendas realizadas no e-commerce daquele país, as recebe e, em seguida, faz a preparação do despacho postal e, depois, faz a remessa para o Brasil.

Quando a compra chega ao Brasil, ainda passa pelo “desembaraço facilitado”, segundo representante dos Correios, isso é o que diferencia este novo serviço da compra de produtos da China, pois os produtos que chegam da Ásia, de acordo com os Correios, “não têm o pré-preenchimento de toda a papelada do desembaraço”. E isso facilitaria e agilizaria o processo de importação de produtos dos EUA.

O serviço não é uma novidade

Na realidade, o fato de existir um intermediário entre a remessa dos EUA para o Brasil não é uma novidade, pois existem outras empresas que fazem este tipo de serviço no país, basta fazer uma busca no Google. O que os Correios fazem, no entanto, é gerar todo o cálculo de tributos e taxas de importação, na tentativa de evitar que o produto seja devolvido ao remetente.

Além disso, estipula alguns limites que constam na Lei de Importação e que facilitam a vida daqueles que não se importam em pagar um pouco mais, mas pesquisar menos.

Como eu moro na Alemanha, muitos amigos e familiares me pedem para comprar produtos em Berlim e enviar a encomenda via Correios. Contudo, a minha resposta é sempre a mesma: não! O motivo disso é que para enviar um produto, especialmente eletrônicos, da Alemanha para o Brasil, é preciso preencher uma papelada e, sempre, adicionar o valor do produto. Assim, quando a encomenda chega ao Brasil, ela será taxada. E isso, na minha opinião, não vale a pena. Abaixo, explico o porquê disso.

Simulação de compra

Como disse acima, a ideia principal dos Correios com esta plataforma é oferecer a possibilidade de compra de produtos que não são comercializados no Brasil. Logo, levando em consideração a moral e a ética de uma instituição estatal, você não deveria usar a plataforma para comprar o iPhone XS Max, pois a Apple vende o dispositivo no país, mesmo que o preço de importação do aparelho seja até mil reais mais barato via importação.

Os Correios ainda não disseram como este controle será feito internamente. Em contato com a assessoria de imprensa da instituição, ainda não tive nenhuma resposta sobre isso. Porém, no país em que os tributos sobre produto são extremamente altos, tenho certeza de que os investidores da Apple não ficariam contentes em saber que uma plataforma criada por uma empresa estatal está oferecendo a possibilidade do público comprar iPhones por um valor menor. E não me entenda mal, pois não ligo a mínima para o lucro da Apple, é apenas uma questão de ética tributária.

Contudo, a compra de um Google Pixel 3 XL se encaixaria perfeitamente no processo de compras no Compra Fora.

O smartphone mais potente do Google, que não é vendido no Brasil, pode ser encontrado na loja do Google por 899 dólares e, de acordo com a simulação no Compra Fora, o valor total em reais, com taxas de entrega e impostos sobre importação, custaria aproximadamente 5.549,00, para entrega em São Paulo. Este valor é calculado em cima da cotação do dia de hoje e sem a soma de IOF. Lembrando que, caso a Receita Federal assim entenda, poderia cobrar taxas extras sobre o produto no momento do desembaraço.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *